Eu posso ser quem eu quiser ser | Mãegnífica
Aprendendo a me amar Coisas de Jeh

Eu posso ser quem eu quiser ser

8 de março de 2016
diadamulher

Existem algumas coisas na vida que vão e não voltam mais, uma delas é a palavra mal dita. Hoje eu quero compartilhar com você um aprendizado que demorei a vida toda para absorver e que me proibiu de curtir ser quem eu sou. Hoje, já com vinte e oito anos, eu vou te afirmar que posso ser quem eu quiser ser.

Em algum momento da minha adolescência um e-mail muito maldoso me fez aceitar uma mentira que me proibiu de pronunciar minha liberdade de ser quem sou através – principalmente – do meu modo de me vestir. É óbvio que eu me lembro vividamente de cada palavra destacada naquele e-mail já que ele realçava claramente que eu era “muito magra e feia para namorar um menino tão gato como aquele” (na época, o meu namorado). Confesso que tinham mais insultos à minha pessoa e forma de me vestir mas acho que essas palavras magra e feia mexeram muito comigo por eu sempre acreditar que eu realmente era isso e aquilo.
Os anos foram se passando e eu conseguia ver as mudanças que o tempo provocava em meus amigos: alguns engordavam, emagreciam ou simplesmente carregavam as marcas do tempo no rosto. Enquanto isso eu só conseguia ver que o tempo intensificava as duas palavras que tanto me definiram: magra e feia.

Aí você já sabe né, chegou um determinado momento da minha vida em que eu engravidei e aí sim as mudanças começaram drasticamente a mudar meu corpo e até minhas emoções (seria impossível a gestação não causar qualquer mudança aparente em mim, rs). Fui ganhando corpo, meu rosto ficando mais “cheinho” e rosado (“vivo”, como alguns costumavam se referir – porque antes, de certo, ele estava morto) e eu achava que agora seria a hora de eu me sentir melhor comigo mesma e até menos feia. Acho que essa foi uma fase muito boa para minha auto-estima, me atrevo a dizer que a melhor, porque tudo era resultado da gestação e eu tinha no que por toda a culpa da minha (falta de) beleza: se eu estava radiante, era a gestação; se eu estava cheia de olheiras – poxa, tadinha, é a gestação. Mas no final eu estava sempre bela e magnífica.

Quando eu ganhei o Lucca tive muita dificuldade em aceitar minha nova realidade: eu estava inchada, sem nenhuma perspectiva de que minhas olheiras diminuiríam e me sentindo um trapo. Só que nessa fase inicial da maternidade é muito comum que a gente se sinta assim, não há tempo para mais nada além de cuidar do nosso pequeno. E então os meses foram passando, passando e minha barriga não diminuiu; minhas olheiras estão mais fortes e dispostas a permanecerem aqui; minhas pernas estão magrinhas como antes mas cheia de hematomas por causa das noites mal dormidas e desesperadas para embalar o Lucca em um sono após seu despertar assustado. Ah, posso mencionar os cabelos? Todos os dias caem – deixa eu chutar – uns cinco mil fios de cabelos. Com o passar dos meses – e ano – fui me sentindo novamente uma mulher-agora-mãe feia, sem graça e digna de uma pança para esconder com vergonha.

“No dia que for possível à mulher amar-se em sua força e não em sua fraqueza; não para fugir de si mesma, mas para se encontrar; não para se renunciar, mas para se afirmar, nesse dia então o amor tornar-se-á para ela…”

— Simone de Beauvoir

E então eu comecei a acompanhar tantas lutas e desafios de mulheres para defender a sua e a minha liberdade de ser. Por que comigo seria diferente? Aliás, pra começar, quem foi que disse que eu sou feia ou magra e me estereotipou assim? Um e-mail? Será que eu preciso mesmo me deixar vencer quando há tantas coisas nessa vida pelas quais eu não posso deixar de viver?
Por exemplo, quem foi que disse que eu não posso usar shorts só porque minhas pernas estão cheias de hematomas? Ou quem foi que disse que eu não posso passar batom vermelho porque assim estarei passando a mensagem de mulher à toa? É muito triste saber que tantas mulheres têm lutado inclusive pela minha liberdade de ser quem eu quiser ser e, no final das contas, eu me deixar vencer tão facilmente. Como se elas estivessem lutando por mim mas tudo em vão. Quer saber? Não posso permitir.

Não posso permitir que me faltem com respeito ao me provocarem com palavras de baixo calão escondidas sob a definição “crítica” sobre mim ou meu jeito de me vestir; não posso permitir que meu amor próprio seja o menos amado e muito menos permitir que alguém dite suas verdades em cima de mim como verdades absolutas!

“A beleza e a feiura são uma miragem, pois os outros sempre acabam vendo nosso interior.”
— Frida Khalo

Ainda tenho meus dias em que a autoestima passa para o lado de lá e eu realmente me sinto mal pelo o que vejo no espelho, não vou mentir. Percebo que a autoaceitação é um processo lento e que vai exigir muito de mim (e que eu ainda não estou totalmente pronta para enfrentar). Mas acredito que quando a gente aceita que somos perfeitamente imperfeitas metade dos nossos problemas ameniza o peso que temos carregado dentro de nós mesmas.

Hoje eu me vejo de uma forma totalmente diferente de como eu me via há cinco anos atrás e sei que parte dessa mudança veio aqui, óh, na minha mente, quando deixei de confiar na opinião das pessoas e comecei a confiar nos meus instintos. É verdade que eu ainda não me amo completamente, ainda reluto em aceitar muitas coisas no meu corpo e até no meu jeito de ser mas esse é um desafio meu e de mais ninguém, entende?

“A imperfeição é bela, a loucura é genial e é melhor ser absolutamente ridículo que absolutamente chato.”
— Marilyn Monroe

Eu tenho os olhos esbugalhados e meio tortos, eu sei; também tenho as pernas fininhas, o rosto gordinho e uma barriga saliente – também sei. Ah, esqueci de mencionar que sou um pouco corcunda e meus seios já estão caídos de tanto amamentar. Não sei passar maquiagem mas estou aprendendo com os tutoriais que você compartilha nas redes sociais (ainda chego lá, girl!) e acabei de perceber que preciso fazer tratamento anti-age (o.O). Mas quer saber, por que é que deveria ser diferente? Minhas características são resultados de combinações genéticas, opções alimentares e consequências da vida que eu levo! Nossas escolhas deixam marcas.

“Eu estou bonita, mas não sou bela. Tenho pecados, mas não sou o diabo. Sou boa, mas não um anjo.”
— Marilyn Monroe

“Qualquer coisa é bela se vista de uma forma diferente.”
— Coco Chanel

“Sempre vai ter uma parte de mim que é desleixada e suja, mas eu gosto dela. Junto com todas as outras partes de mim.”
—Tiffany Maxwell (O lado bom da vida)

“This girl is on fire”
— Alicia Keyes

“Não importa o lugar de onde você vem. o que importa é quem você é! E quem você é? Você sabe?”
— Coco Chanel

Aprender a me amar é o meu novo desafio e que compartilharei aqui no blog através de fotos do meu rosto rechonchudo com maquiagem meia boca, meu panceps marcado na minha blusa preferida e meu jeito esquisito e simples de ser porque quero mais é ser feliz, já não tenho tempo a perder. Então com licença, vou ser quem eu sou porque o tempo não me espera!

Mãe, eu quero! (Wishlist de Março)
Por onde andei? (Netflix, preguiça da vida e outras coisas)
 

Você também pode gostar de

16 Comentários

  • Responder Gilciany 11 de abril de 2016 at 20:26

    Oi Jeh, que saudade do seu cantinho e que post lindo mulher!
    Como assim vc ser magra e feia? Eu acredito que essa pessoa deva estar com algum problema. Sempre achei vc uma boneca linda e depois que se tornou mãe ficou ainda mais…
    Porém, entendo perfeitamente o que uma palavra pode fazer conosco… Eu mesma já vivi muito em mercê dos estereótipos que criaram pra mim. No meu caso, gorda e baixa, e confesso que isso afetou muito meu jeito de ser por anos a fio. Até que consegui me ver de outra maneira e ser feliz com o realmente sou: gordinha e baixinha. Percebi, que isso não impede e nem nunca vai impedir de eu ser feliz, de me achar bonita, de ser amada. Só precisava enxergar a beleza em mim mesma. Como vc, tem dias em que tenho recaídas na auto estima só penso que se eu fosse como a sociedade que tudo seria mais fácil pra mim, porém não sou e devo me aceitar. É difícil, é uma batalha diária, mas acredito que a cada dia, venço um pouco dos meus fantasmas.
    Eu fiquei muito contente em saber que pessoas contrárias (magras) tmbm passam pelas mesmas inseguranças.
    Obg por seu depoimento tão sincero e encorajador.
    Bjus minha flor bela!

    • Jeh Asato
      Responder Jeh Asato 12 de abril de 2016 at 01:36

      Gil!! Mulher, que maravilhoso ter você aqui! Obrigada por não se esquecer da gente, de coração! <3
      Sabe, tem dias que eu fico me martirizando e pensando exatamente o que você disse: se as coisas seriam mais fáceis se eu fosse como a sociedade impõe que sejamos. E na verdade eu acredito que sim, seria mais fácil. Mas qual seria a graça, não é mesmo? Tudo muda, tudo gira e hoje uma magrinha é linda e amanhã um corpinho cheio se torna a coisa mais sensual e top do mundo. Não dá pra gente se rejeitar por causa do que os outros (e nem sei quem são esses outros) definem como beleza.
      Eu demorei muito, mas muito mesmo, para pensar desse jeito e como disse no post, tem dias que eu me odeio, literalmente. Mas esses dias - graças à Deus - são poucos e o restante do ano eu quero é me ver bem. Só consegui me ver assim graças ao Lucca: sem querer ele me abriu os olhos e fez com que eu me apaixonasse por mim mesma. Hoje em dia acho o amor próprio o mais bonito de se ver!
      Beijos minha linda!

  • Responder Sílvia Andrade 11 de abril de 2016 at 10:46

    Oi Jeh…sabe, já senti o que vc sentiu com relação à críticas…o pior é quando elas vêm de alguém tão próximo, que divide a casa com vc, são palavras de peso…nos fazem tão pequenas e insignificantes, tentamos não demonstrar o quanto nos dói…até disfarçamos com um sorriso no rosto…más sempre é tempo de se libertar e nos olhar como pessoas lindas que somos, cheias de valor…a confiança volta, o brilho nos olhos também… Bjs vc é linda, sempre achei…

    • Jeh Asato
      Responder Jeh Asato 12 de abril de 2016 at 01:38

      É verdade Silvia, acho que quando as palavras ruins vêm de alguém que chamamos de pai, mãe, irmão, amigo dói muito mais porque pensamos que essas pessoas poderiam nos amar como realmente somos e principalmente pelo o que somos por dentro. Parece clichê esse negócio de amar o que se tem por dentro mas no final das contas é isso mesmo: a carcaça vai virar cinzas e todo mundo chegará no mesmo nível, só o pó. Mas o que tem por dentro, ahhh… esse interessa tanto para Deus que eu acredito ser o mais importante!
      Muito obrigada pelo carinho (e elogio)! <3

  • Responder Fernanda 10 de abril de 2016 at 03:12

    Simplesmente amei tudo o que disse, todas as fotos, e mais ainda, amei consegui sentir que você realmente se sente assim.
    Realmente tem dias que nós nos vemos não dá forma que somos, mas talvez, creio eu que dá forma em que nos sentimos, e isso reflete muito por fora, (talvez mais do que achamos)
    E nós nunca iremos nos ver realmente como somos. Jamais iremos nos ver como os outros nos olham. No espelho somo a imagem refletida e distorcida de nós.
    Para os outros. Somos quem eles querem que sejamos.
    Somos tantas sendo apenas uma. Olha que beleza não?
    Então pra que ‘detestar’ essa uma forma que vemos no espelho? Ela não vai ser a mesma de amanhã, ou a mesma que a pessoa da padaria viu.
    Somos lindas de formas que não podemos ver. Somos lindas de formas que já nem estão mais aqui.
    Você é linda Jeh <3

    • Jeh Asato
      Responder Jeh Asato 12 de abril de 2016 at 01:41

      Ahh que linda, Fer! Amei seu ponto de vista e concordo muito com o que você disse. Com certeza nós refletimos muito o que temos por dentro e por isso às vezes nos vemos mais triste, alegre, feios, bonitos. Pensando aqui comigo eu consigo lembrar de tantas vezes em que refleti o que se passava aqui dentro. I
      Impressionamente.
      Muito obrigada pelo elogio e pela sua opinião maravilhosa!
      <3

  • Responder Maria Simone 8 de março de 2016 at 19:40

    Apaixonada nesse teu texto <3
    É realmente um desafio diário nos amarmos por inteiro e entender que não precisamos seguir "um padrão" pra ser feliz. A vida é muito mais que isso.
    Tu és linda guria. E nunca deixe que ninguém te faça pensar ao contrário
    Beijos!

    • Jeh Asato
      Responder Jeh Asato 10 de março de 2016 at 01:07

      Gataaaa, que lindo seu comentário, muito obrigada pelo carinho e compreensão! Fico feliz ao ter do meu lado pessoas que entendem meus desabafos ao invés de jogarem pedras!
      Um beijo com muito carinho!
      <3

  • Responder Nessa 8 de março de 2016 at 15:44

    Oi Jeh
    Adoro suas reflexões que me fazem pensar, e olha, sempre me identifico com eles.
    Menina preciso dizer que sempre te achei linda, sempre adorei suas maquiagens, e ai, como eu queria saber fazer maquiagem assim…
    Compreendo perfeitamente o que vc diz, eu mesma já passei por isso, sempre fui muito magra e sou ainda… não são todas as rupas que caem bem em mim… mas hj em dia eu não me preocupo mais com isso sabe. Aprendi a me aceitar como sou, o importante é viver bem e com as pessoas que a gente ama.
    Adorei o seu look!!!

    Beijinhos
    http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br

    • Jeh Asato
      Responder Jeh Asato 10 de março de 2016 at 01:09

      Como eu gosto das suas visitas aqui no blog, Nessa! Sei que estou te devendo as minhas lá no Diário de Incentivo à Leitura mas logo logo estou por lá! xD
      Fico imensamente feliz por saber que de alguma forma você se identifica com os meus desabafos. É bom saber que ainda existem pessoas que estão dispostas a estender as mãos e serem sinceras ao invés de jogar pedras!
      É muito bom também quando a gente deixa um pouquinho de lado algumas preocupações que nos deixavam carecas mas que no fundo são super tolas. Eu ainda estou aprendendo e sei que vou chegar no nível “me amando mais que tudo”!
      Beijão!

  • Responder Bianca 8 de março de 2016 at 14:51

    Você é linda! E o mais importante de tudo isso, é que é linda pelo seu caráter, e seu jeito de ser , por quem és na sua essência. Nenhum de nós é perfeito, mas é essa imperfeição que deixa tudo tão belo. Simplesmente amei ler esse post <3
    Bjoo, Bia do Julieta ao Contrário .

    • Jeh Asato
      Responder Jeh Asato 10 de março de 2016 at 01:10

      Ahhhh Bia, que lindo seu comentário! Muito obrigada viu, você está certíssima: existem características muito mais importantes para serem notadas, como o caráter de uma pessoa!
      Um beijo com carinho! <3

  • Responder Natty 8 de março de 2016 at 11:51

    Oi, Sucriii!

    Ai, que posto lindo! Tão lindo como você sempre foi! Já te acompanhei em taaantas fases e posso dizer que essa é a sua melhor. Claro, pois melhoramos a cada dia, com a vivência e as experiências que a via nos proporciona (ou nos obriga a viver). Seja sempre seu melhor, dê seu melhor ao mundo, ao Lucca e a você mesma. E se tiver algo que queira mudar, mude! A vida é curta demais pra não vivermos nossos sonhos e desejos.

    Saudades!
    <3

    • Jeh Asato
      Responder Jeh Asato 10 de março de 2016 at 01:16

      Sucriiiii, vou escrever mais textos de desabafos só pra ter você mais pertinho!!! *-*
      Fico tão feliz de ler um comentário super positivo de alguém que já me acompanhou desde muito tempo antes e viu todas as minhas fases. É engraçado que a gente, uma hora ou outra, precisa acordar.
      Obrigada pelas palavras de incentivo e carinho, Sucri, eu preciso muito mesmo!!! É muito bom poder contar com você na minha caminhada!
      Muitos beijos!

  • Responder Babi Lorentz 8 de março de 2016 at 10:58

    Sua linda, maravilhosa e imperfeita <3. SIM, IMPERFEITA. Ninguém é perfeito, mas mesmo assim você continua sendo linda, miga, e todas nós que te acompanhamos te amamos do jeitinho que você é. E se mudar algo, pode ter certeza que se o sentimento for verdadeiro, ele prevalece. OLHA EU FILOSOFANDO! hahahha
    Que saudade de ler seus textos.
    Que bom ter entrado aqui logo hoje e me deparado com essa maravilhosidade.
    Feliz dia 08, que é nosso, que representa nossa luta <3
    Beijos!

    • Jeh Asato
      Responder Jeh Asato 10 de março de 2016 at 01:18

      Baaaabiiiii, que saudades!!!! Poxa como é bom ter você de volta aqui!!Sei que ando sumida mas por favor me dá um desconto porque minha vida tá bem embaraçada! :x
      Sua linda, é muito bom saber que posso contar com tanto carinho e eu amei sua filosofia, viu! Quero mais! Saber que tenho pessoas que estão dispostas a nos dar afeto ao invés de julgamentos é muito bom! Obrigada viu!
      Feliz dia oito atrasado mas que vale para todos os outros 365!!!
      <3

    Deixe seu comentário