Borboletas e Taturanas | Mãegnífica
Crônicas

Borboletas e Taturanas

31 de julho de 2017

Ando distraída buscando as estruturas internas do meu coração.. vejo-as dispostas ao longo da orla, à luz do sol, o céu resplandece e ilumina tudo o que é. Não trabalho mais com suposições, quero o agora, o instante já. O presente é o que me consome, o que foi ou poderia ser me visitam às vezes, sem consumir meus desejos mais internos. Quero ir sem que a volta me cause cabelos brancos. É, eles já despontaram aos meus um quarto de século.
Agora meu quarto está diferente, minha casa não se parece mais a mesma. A cada dia, ela se renova, ao meu lado. Minhas roupas mudam de tom, meus desejos mudam de direção, minha vista não parece mais tão turva. As marolas do mar vem a mim como meus pequenos alunos vem me abraçar toda manhã de segunda feira, com saudade de quem eles pertencem. Temos partes dos outros em nós e cultivar, nos faz ter um jardim tão lindo.
Me sinto florida, cheia de borboletas e até taturanas, mas elas vivem em comunhão, sem se queimar. Só as vezes, mas é preciso. Até na calmaria há turbulências e elas nos fazem enxergar o quão belo é meu regar as flores independente dos infortúnios do viver. Independente quão obscura possa ser a realidade, nós fazemos nossa própria felicidade.

A partida
Inundar-se
 

Você também pode gostar de

Nenhum comentário

Deixe seu comentário