Blog Day | Minha vida no blog, o blog na minha vida | Mãegnífica
Baú da Jeh

Blog Day | Minha vida no blog, o blog na minha vida

31 de agosto de 2017

Dia 31 de Agosto é sempre um dia especial pra mim porque sempre relembro minhas fases de blog e mato um pouco da saudade dos melhores tempos que a blogosfera já viveu.
Foi bonito foi, foi intenso foi e o legal mesmo é acompanhar as mudanças, as novidades e manter o que outrora foi maravilhoso.

Eu gosto desse negócio de blog. Hoje ele é tão famosinho e útil quanto o jornal de domingo que seu avô costuma pegar na banca mas antigamente – e me refiro há dez anos – as coisas eram bem diferentes. Eu uso a plataforma desde os meus 14 anos e já é possível imaginar quantas transições, upgrades e deficiências que acompanhei desde então.
Lembro bem que, àquela época, a gente só tinha a intenção de espalhar gifs fofinhos pela sua página ou contar sobre o seu dia (e digo literalmente contar sobre o seu dia).
Eu também aprendi muito por causa do blog. Aprendi a fazer meu primeiro layout e consigo lembrar até do sentimento de euforia que eu tive. Foi tão difícil, algumas vezes até chorava pra chegar em algum lugar e quando cheguei, uau, não parei mais!
Se você me acompanha desde então sabe que eu adorava trocar de layouts, além de ser divertido também era desafiador porque cada vez mais eu precisava me superar. Gostei muito de uma época em que meu blog era hostee e eu fazia colagens com imagens de celebridades. Nossa, era muito divertido! Até pensei em trazer de volta uma dessas colagens mas achei que você, que me acompanha recentemente, me chamaria de velha e louca.

Como era a blogosfera

Falando em velha e louca, você sabia que eu assinava minhas postagens e fazia comentários em outros blogs sob o nome Enelya Vardamir?
Misericórdia!
Naquela época eu achava bonitinho descobrir o meu nome pirata, escocês, de batalha, meu nome pornô… e Enelya Vardamir é meu nome na linguagem elfo.
Ou celta?
Agora me perdi.

Como era a blogosfera

Como era a blogosfera

Mas foi com o Liege, e depois Meine Liege, que veio a paixão pela leitura. Tudo começou como uma forma de terapia e depois se tornou vício, paixão, amor. Hoje eu não consigo ter o Mãegnífica sem falar de livros.
(Isso você já deve ter percebido, rs).

Decidi pesquisar Meine Liege no Google e encontrei uma edição de vídeo tão linda dos blogueiros e amigos que conheci, e alguns mantenho contato e amizade até hoje, em um canal do Youtube que eu tinha só para falar de livros.
Bateu saudade, você acredita? Mesmo eu ainda estando na blogosfera, sinto saudade. Das diferenças, da simplicidade, do que o blog representava para mim e para os outros.

Falando em livros, eu tive a honra de participar de duas Bienal do Livro, ambas no Rio de Janeiro, e conhecer alguns dos meus autores preferidos. Mas muito mais que isso foram 1) a honra e alegria que tive em conhecer tanta gente maravilhosa, fãs de livros e 2) vencer, aos poucos, a síndrome do pânico.

E qual é a conclusão?

Se você começou a blogar recentemente então fico um pouco triste por você não ter vivido o melhor da blogosfera. Apesar de hoje essa ferramenta estar a nosso dispor como forma publicidade ainda assim você não está vivendo o melhor dela.
Porque nem tudo gira em torno de dinheiro, visualizações e “fama”.
Eu vim de uma época em que a gente tinha tempo para visitar vários blogs sem se preocupar se as visitas seriam retribuídas (e geralmente, além de serem retribuídas, também se tornavam leitores frequentes), não havia preocupação de SEO, engajamento, palavras-chaves, mídia kit, publipost, nada disso.
Viu como eram tempos incríveis??

Infelizmente muitos blogs que eu conheci durante esses quase dezoito anos na blogosfera se perderam no caminho, foram desligados e eu não julgo ou penalizo, mas sinto muita faltas deles porque seriam lembretes a mim mesma do verdadeiro motivo da existência do Mãegnífica.
Cheguei até aqui, adaptei, me inseri mas confesso que muitas coisas eu não aceito e tento fazer diferente.
Sou a caretona das redes sociais, uhrul!

É por isso que o Mãegnífica é esse balaio de assuntos, mistura de temas e estatisticamente/profissioalmente falando posso estar fazendo tudo errado (nicho, cadê você?) porém é desse jeito que eu gosto, o blog retratando a minha vida como realmente é, sem firulas, sem feed organizado, sem papas na língua, preconceito ou julgamentos.

Como era a blogosfera

Agradeço a cada um que ainda visita o blog, me acompanha desde os primórdios e faz questão de incentivar o trabalho (veja só, agora é trabalho, rs) no Mãegnífica.
E quem visita pela primeira vez, seja muito bem vindo(a), você é especial aqui e torço para que os assuntos compartilhados sejam de seu interesse particular.
E você que acompanha o trabalho de outros bloggers, compartilha comigo seus links preferidos? Será um prazer prestigiar o conteúdo de outros colegas!
Ipi ipi urra!

A crise dos dois anos (terrible two) | Ninguém me preparou pra isso!
 

Você também pode gostar de

3 Comentários

  • Responder Karin Paredes 1 de setembro de 2017 at 15:33

    Ahhhhhh que lindo esse post!
    Lembro que te conheci na época do Meine Liege.
    De lá para cá continuo acompanhando e adoro ver como você cresceu e continua crescendo lindamente nessa internet.
    Adoro vir aqui e ver um pouquinho da sua vida!

  • Responder Loma 1 de setembro de 2017 at 05:02

    Gente tem uma fotinha minha ali na sua imagem destaque, que alegria! hahahaha
    Eu tô até agora chocada com Enelya Vardamir????? Eu nunca pensaria em um nome tão aleatório e diferente pra usar como pseudônimo! hahahaha Feliz Blog Day pra gente! Adorei conhecer um pouco mais da sua história na blogosfera! :D

  • Responder Thanny 31 de agosto de 2017 at 15:45

    Que postagem nostálgica, Jeh! Viajei com esse vídeo da bienal e morri de saudades. Foi uma época realmente incrível, além dos comentários havia uma maior facilidade pra todos serem amigos, né? Hoje me falta tempo pra escrever e muito menos pra visitar tantos blogs como antigamente, mas tem posts como esse que vale parar um pouquinho o que estou fazendo e vir deixar um pouco de carinho <3

    Um beijo!

  • Deixe seu comentário