A tormenta de cada dia | Mãegnífica
Crônicas

A tormenta de cada dia

28 de agosto de 2017

Viajar. Eu viajo quando vou à padaria comprar um pão quentinho no final da tarde, viajo ao olhar na pupila dos meus alunos que sorriem quando me vem pela manhã. Viajo ao me deslocar de estado, revivendo momentos de um passado que não podemos mais voltar atrás. Um passado que ficou dentro de uma Fernanda que não é mais. Ando pelas ruas de Campo Grande, o sol escaldante, o coração aquecido por abraços de saudade. Atualizando a vida e o dia a dia de acordo com minhas mudanças diárias. Sofro, erro e continuarei assim. Afinal, por mais que saibamos o caminho a seguir, desvios acontecem num piscar de olhos.
Ouço as araras, elas vem me saudar. Desço do avião e avisto o quanto aprendi. As capivaras atravessam a faixa numa fila, linear e poética. A naturalidade da travessia me faz pensar na simplicidade da vida. Estou aqui hoje e amanhã não mais estarei. Já mudei tantas vezes. E com os lugares, transmuto a cada novo ar que respiro. Sinto pelas dores que causei, mas me orgulho das alegrias que germinei. A cada passo, repasso e me renovo. Minha liberdade me assusta e me deixa leve. Vou. Sabe pra onde? Se não faço ideia de como vim parar aqui, como posso imaginar onde irei parar?

O enlace
A partida
 

Você também pode gostar de

Nenhum comentário

Deixe seu comentário